Ciclomobilidade Fortaleza – Passeio Noturno

Category : Ciclomobilidade, Diário

Nesta terceira parte dos vídeos sobre Fortaleza, mostra quando eu fui para um passeio noturno de bicicleta que acontece na cidade todas as segundas e quartas, juntando por volta de 300 ciclistas. Fiquei extremamente impressionado com a quantidade de participantes e como um amante da Massa Crítica (critical mass) foi interessante ver um passeio com cara de Bicicletada (nome adotado no Brasil). Em alguns momentos do passeio fica impossível controlar todas as pessoas e cada um age por si próprio, dando uma identidade peculiar no tal evento.

Ciclomobilidade Fortaleza

Category : Ciclomobilidade, Diário

Para aproveitar o embalo das filmagens do dia tive a idéia de fazer um vídeo com dicas de como pedalar na cidade. É uma mania que eu (Felippe) sempre tenho, acessar o Google maps, ou comprar mapas da cidade e estudar rotas mais tranqüilas para poder pedalar na cidade. Geralmente quando começamos a pedalar costumamos usar o mesmo percurso que fazemos de carro, mas para andar de bicicleta nem sempre é a melhor opção, a depender da cidade, onde existe uma avenida movimentada paralela a ela existe ruas mais tranqüilas, mais residenciais e por conta disso existem menos fluxo de automóveis e principalmente de ônibus, os principais “vilões” do ciclista.

Nesse vídeo você verá como é fácil e possível a bicicleta se tornar uma alternativa de transporte em qualquer cidade e que os congestionamentos são os maiores amigos do ciclista, já que está tudo parado, é mais fácil pedalar.

Primeiros dias em Fortaleza

1

Category : Diário

Chegamos em fortaleza terça-feira, dia 17 de novembro, e como toda chegada, muito trabalho, tratar fotos, escrever os texto e agora com mais novidade, escrever relatórios e editar vídeos, realmente cansa só de falar, mas é muito prazeroso tudo isso, principalmente depois de publicado, ver o site sendo acessado cada vez mais, os comentários e algumas vezes o despertar adormecido de várias pessoas pelo uso da bicicleta e em cicloviagens, citando nome de dois grandes amigos que fiz, Almir e seu irmão Enio Magalhães, lá de Recife – PE.

Na quinta-feira à noite ficamos sabendo de um encontro do Couch Surfing na praia do futuro, decidimos ir para conhecer a tão falada galera de “fortal”, foi massa, conhecemos muita gente boa, Diego Pearce, Ticiana Teixeira, Elvis Teixeira, Cláudia Sales entre outros. No final de semana fomos conhecer a noite da cidade, onde fica o complexo cultural Dragão do Mar. Ficamos muito impressionados com a vivencidade do local, uma área com barzinhos e boites para todos os gostos, muitas famílias passeando, bem iluminado e respira cultura. No domingo, saímos com um outro amigo que nos conheceu pela internet, Rômulo nos chamou para almoçar e então podemos conversar e trocar experiências, ele pretende iniciar no cicloturismo. Após o almoço fomos dar uma volta na beira mar com Diego que apareceu no final de tarde no restaurante que estávamos.

O trabalho só terminou na outra terça e no dia seguinte iria começar a pesquisa sobre Fortaleza. Procurando pessoas envolvidas com o uso da bicicleta na cidade cheguei a o nome de Miguel Ary, um simpatizante da mobilidade a propulsão humana, era isso que ia fazer no próximo dia, conversar com ele e ver se conseguia algum material sobre a cidade. Aproveitei também para conhecer Fortaleza, fotografar e procurar bons exemplos de incentivo ao uso da magrela. No final de semana anterior, tinha pego um panfleto do Teatro José de Alencar e vi que lá eles disponibilizam de paraciclos, tinha que ir lá conferir. Foi um dia muito tranqüilo e divertido.

 

Ainda na quarta-feira, eu (Felippe) ainda fui para um passeio noturno que junta dezenas de pessoas para pedalar a noite, mas só no próximo post falarei mais a respeito.

Veja mais fotos no album Fortaleza.

Dois dias em Canoa Quebrada

Category : Diário

16 e 17/11/2009 – Não ficamos muito tempo em Canoa, pois já tínhamos a idéia de voltar. Então foram apenas o Domingo da chegada, segunda o dia inteiro e terça partimos pra Fortaleza. Esperamos chegar em Canoa pra poder registrar o estrago da bicicleta de Felippe.

Em Canoa conhecemos alguns nativos e viajantes de muitos lugares. Realmente podemos dizer que Canoa é um lugar cativante, muitas turistas não vão pra ficar 2, 3 dias, mas sim 2, 3 meses. O lugar é fantástico, lindo, ótimo pra pratica de windsurf e kitesurf, a noite é bastante agitada, tem um centro comercial bem completo e as pessoas são muito amigáveis.

No domingo curtimos o dia com nossos hosts e a noite fomos no tradicional luau reggae da barraca Freedom. Na segunda era aniversário de Carina, então fomos pra praia pela manhã e a tarde comemoramos com um almoço muito gostoso! Final de tarde Felippe ficou em casa com nossos hosts e eu (Dan) fui andar pela cidade, conhecendo muitas pessoas interessantes, inclusive hippies, pois gosto muito de ouvir suas histórias.

 

Terça acordamos cedo, ajeitamos as malas, lanchamos com Carina e Franco e fomos nos encontrar com Isaias, que já havia ido trabalhar, para nos despedir e registrar essas pessoas maravilhosas com uma foto. Depois nos dirigimos ao ônibus que saia 9:30. Quando o encarregado da venda de passagens viu nossas bicicletas, logo veio falando que iria cobrar uma taxa de R$ 10,00 pra cada bicicleta, e a passagem era R$ 16,00. Eu (Dan) como acordo sem muita paciência falei pra Felippe resolver, e com muita “malícia” começou a falar de lei, que não existe uma que permita tal cobrança (apesar que também não existe uma que não proíba, mas isso não foi falado, claro… rs) e que não iriamos pagar tal taxa, que é um absurdo levando em conta que era mais da metade do valor da passagem, etc. Nem precisou muito tempo eles liberaram, falaram que iam resolver isso quando chegássemos em Fortaleza, mas claro que não falaram mais nada e ficou tudo certo. Vivas, chegamos em Fortaleza.

Mais fotos dos dias em Canoa.

Natal – Fortaleza – Sexto Dia

Category : Diário

Empolgação era a palavra do dia. Queríamos muito chegar em Canoa, faltavam ainda 40 km, 10 de asfalto e 30 de praia. Apesar de acordar um pouco tarde, não foi problema, pois a maré ainda estava secando. Quando alcançamos a praia ficamos impressionado com tanta beleza. As falésias, as piscinas naturais, as cores, as pedras na praia compunham uma paisagem inesquecível. Apesar do trecho ter sido difícil, foi bastante recompensador.

 

Canoa Quebrada, bicicleta quebrada

Talvez o maior perrengue tenha sido esse. Faltando 16 km de praia pra chegar em Canoa, o câmbio da bicicleta de Felippe arrebentou e junto levou os alguns raios e acabou empenando a jante também. O que impossibilitava andar na bici! Não tinha outra alternativa a não ser empurrar a bicicleta debaixo do sol do meio dia os 16 km ou pedir carona. Claro que fomos na segunda opção e um nativo, guia turístico de Canoa, que passava por ali de pick up, nos levou. O alívio foi grande…


Isaias, o nativo, foi super gente boa conosco, do começo ao fim. Quando chegamos em Canoa, almoçamos juntos e por lá chegou também sua esposa Carina e filho Franco. Conversamos um monte e Isaias nos chamou pra ficar em sua casa em Canoa. Sem hesitar aceitamos o convite, é sempre bom conviver com as pessoas da terra.

Veja mais fotos abaixo e todas as fotos do sexto dia do percuso Natal – Fortaleza no Picasa.